• citara
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas | Universidade Nova de Lisboa
Av. de Berna, n.º 26 C
1069-061 Lisboa
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 21 790 83 00 (ext. 1583)

Nota Biográfica

Inês Thomas Almeida é bolseira da FCT com o número PD/BD/135582/2018, investigadora do INET-MD e doutoranda em Ciências Musicais Históricas da FCHS-UNL onde escreve, sob a orientação de Rui Vieira Nery, uma tese sobre “O Olhar Alemão: Música em Portugal nos finais do Antigo Regime segundo fontes alemãs”. Recebeu uma Bolsa de Mérito da Universidade de Évora em 2001 e 2002, atribuída ao melhor aluno de cada curso, e licenciou-se em Canto pela Hochschule für Musik und Theater Rostock em 2007. Viveu na Alemanha entre 2003 e 2016 onde criou a ONG “Berlinda” para o apoio à comunidade portuguesa em Berlim. Neste âmbito foi responsável por inúmeras iniciativas de cariz cultural, social e humanitário. O seu regresso a Portugal foi assinalado com uma cerimónia de Reconhecimento e Despedida na Embaixada de Portugal em Berlim, como homenagem aos bons serviços prestados à comunidade. Tem artigos publicados na Revista Portuguesa de Musicologia, nos Cadernos de Estudos Sefarditas (da Cátedra de Estudos Sefarditas Alberto Benveniste, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa) e na revista alemã Iberoromania (da editora De Gruyter). É trisneta da escritora e militante feminista Elisa de Paiva Curado.
 
 
 
 
 
Projecto de Doutoramento
 
Título
O olhar alemão: a vida musical em Portugal no final do Antigo regime segundo fontes alemãs
 
Orientador
 
Resumo
Entre o Terramoto de 1755 e o fim das Guerras Liberais, multiplicaram-se as viagens a Portugal desde o centro e norte da Europa, em parte pelo súbito interesse provocado pelo Terramoto, em parte pelo crescimento do fenómeno europeu das expedições científicas e viagens de lazer, em parte pela vinda a Portugal de oficiais do exército nas Guerras Peninsulares. Dessa movimentação resultaram naturalmente muitas descrições da época, quer sejam sob a forma de relatos de viagem, quer sejam diários, cartas, artigos de jornal, etc., contendo informações sobre a realidade portuguesa vista através dos olhos da Europa. Graças ao trabalho de Rui Vieira Nery, que recolheu os depoimentos relativos à música nos relatos dos viajantes estrangeiros a Portugal e ao Brasil entre 1750 e 1834, existe um corpus numeroso de relatos de viagem, sobre os quais assenta a presente investigação. Especificamente, são tratados aqui os relatos de viagem alemães, que têm permanecido até hoje pouco estudados, contrariamente ao que acontece com relatos em língua inglesa, francesa, espanhola ou italiana. Enquadrar criticamente e contextualizar os relatos de viajantes alemães, retirar deles informação útil para o conhecimento da prática musical portuguesa e entender de que maneira estes textos influenciaram a percepção de Portugal no espaço germânico, é o propósito desta investigação.