• Dança 5
Menu
Coordenação
 
 
Parcerias
 
Financiamento
Acção Integrada Luso-Espanhola financed by CRUP and by the Ministerio de Ciencia e Innovación
 
Referência
PTDC/EAT-MMU/114263/2009
 
Equipa
Salwa El-Shawan Castelo-BrancoSusana Moreno Fernandez, João Soeiro de Carvalho, Ana María Jimenez, António Medeiros, Eduardo Contreras, Dulce Simões, Enrique Camara de Llanda, Javier Campos Calvo-Soutelo, Jorge Freitas Branco, Luís Costa, William Kavanagh
 

ProjectoCeltismo

 
 
Resumo 
Os estudos transfronteiriços envolvendo Portugal e Espanha constituem uma área de investigação de grande relevância. Apenas recentemente alguns antropólogos e etnomusicólogos analisaram questões que se prendem com processos transfronteiriços (Medeiros 2006; Godinho no prelo, 2005; Pereiro 2008; Kavanagh 2004; Cunha & Cunha 2007), quer individualmente ou integrados em projectos de investigação, e vários congressos internacionais foram organizados em torno deste assunto. Além disso, a Universidad de Extremadura (Espanha), oferece um programa de doutoramento sobre processos de transmissão transfronteiriços envolvendo Espanha, Portugal, e outros países.

No âmbito dos processos transfronteiriços, o celtismo – um movimento transnacional influente em várias partes da Europa - desempenhou um importante papel na construção de identidades na Galiza e no norte de Portugal. Na Universidade Nova de Lisboa, um seminário de mestrado em antropologia das fronteiras focando Espanha e Portugal, integra o curriculum. Na etnomusicologia, o celtismo tem sido o foco de investigação desde os anos 90, no entanto, Portugal não tem sido alvo de estudos. Em Espanha, a Galiza tem sido o principal enfoque de investigação esporádica (Bohlman 2002; Stokes & Bohlman 2003; Campos 2007; Costa no prelo a, b). Apesar do património musical comum, a investigação em torno do intenso intercâmbio transfronteiriço entre Portugal e Espanha, envolvendo manifestações do celtismo sobretudo na música, ainda está incipiente.

O presente projecto terá como enfoque os processos transfronteiriços de construção da identidade que instrumentalizam os patrimónios musicais, ancorados na noção do celtismo visando a construção de uma identidade luso-galaica. O projecto abordará igualmente o impacte na Galiza e no norte de Portugal do imaginário celta que se desenvolveu em várias áreas periféricas da Europa (Bretanha, Irlanda, Escócia, País de Gales, Ilha de Man), e se difundiu a uma escala transnacional.

Este projecto de carácter interdisciplinar privilegia uma colaboração sem precedentes entre antropólogos, etnomusicólogos e outros especialistas de ambos os países. A análise comparativa do movimento da música celta no norte de Portugal e na Galiza constitui a principal estratégia de investigação. A investigação de terreno e de arquivo será levada a cabo em Portugal, em Espanha e noutros países. A documentação audiovisual de eventos e repertórios, as entrevistas etnográficas e os recursos da internet, permitirão uma análise detalhada das práticas musicais ligadas ao celtismo e dos discursos a elas associados, e avaliar os modos como o imaginário celta é utilizado como elemento aglutinador no noroeste da Península Ibérica.