• Dança 3
Menu

Resumo

Esta Investigação explorou o uso do software Hyperscore nas aulas de Educação Musical como um meio facilitador da compreensão musical e da transferência conceptual de um contexto de aprendizagem musical mediado pelo tecnologia para o contexto normal da sala de aula. Desenvolveu-se numa escola de 2º ciclo do Ensino Básico em três turmas de 26 alunos cada, em idades compreendidas entre os 10 e os 13 anos e no contexto dos estágios supervisionados da Licenciatura em Educação Musical da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto. Entre Dezembro de 2006 e Maio de 2007, as três turmas estiverem envolvidas em aulas de Educação Musical que decorreram: 1. numa sala com um computador com o software Hyperscore e auscultadores para cada aluno e 2. na sua sala de aula de Educação Musical. Através de uma metodologia qualitativa, exploratória e da observação participante, recolheramse os seguintes dados: ficheiros com as composições dos alunos, folhas de avaliação, notas de campo dos professores e entrevistas.

Resultados

Os resultados revelaram altos níveis de comportamento centrado nas tarefas, autonomia e atitudes colaborativas, assim como o uso mais consciente do vocabulário musical. Contudo, dado o grande apelo gráfico do sistema de composição proporcionado pelo software, verificou-se a necessidade de prosseguir estudos que estabeleçam uma clara ligação entre as intenções musicais dos alunos e os resultados pictóricos.

 

Equipa de Investigação

Graça Mota (Investigadora Responsável), Helena Ribeiro, Fernando Calheiros, Daniel Gonçalves, Ana Daniela Oliveira, António Sousa

 

Financiamento

Casa da Música

 

Período

Setembro 2006 a Julho 2007

 

Palavras-Chave: composição, tecnologia, transferência, motivação, autonomia