• Guitarra
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)

Nota Biográfica

Klênio Barros é Técnico em Música (2005), Bacharel em Música (2009) e pós-graduado em Música (2011) - Práticas Interpretativas do Século XX e XXI -, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil). É mestre em Música (2014), numa articulação entre os Estudos em Performance e a Etnomusicologia, pela Universidade de Aveiro (Portugal). Atualmente, é aluno do Programa Doutoral em Música da Universidade de Aveiro, no ramo da Etnomusicologia. Possui trabalhos acadêmicos publicados e apresentados na área de análise musical e intertextual, da Etnomusicologia, dos Estudos em Performance e em Música Popular, em congressos nacionais e internacionais.
 
 
 
 
 
  
Projeto de Doutoramento
 
Título
“Música, jazz e improvisação enquanto mediadores nos processos de individuação: o caso das big bands Orquestra Tabajara e Orquestra Jazz Matosinhos”.
 
 
Orientação
 
 
Resumo
A investigação procura refletir sobre os processos de individuação à luz das práticas coletivas associadas à performance jazz, no contexto brasileiro e português, operacionalizando a aplicação das teorias da Sociologia do Indivíduo a partir de dois casos em análise: no Brasil estudo a Orquestra Tabajara e, em Portugal, a Orquestra Jazz Matosinhos. Da problemática proposta desdobram-se alguns questionamentos. Dentre eles, a questão principal é: qual o papel dos modos de fazer música no processo de individuação dos indivíduos? O objetivo central desta investigação é descrever os coletivos estudados a partir dos indivíduos que são socialmente individualizados. Para isso, centrado nos trabalhos de Danilo Martuccelli (2005; 2007; 2010; 2014; 2012), utiliza-se a noção de "desafios cotidianos" como operador analítico estratégico, no sentido de estabelecer conexões entre transformações coletivas e experiências individuais. A metodologia contempla a realização de estudo etnográfico, trabalho de campo (utilização de técnicas, como entrevistas e observação participante) e pesquisas bibliográficas e documentais.