• Caretos
Menu
Resumo
 
Em 2009 o serviço educativo da Casa da Música (CM), Porto, Portugal, deu início ao programa Casa vai a Casa. O programa dirige-se a comunidades que não podem aceder às atividades oferecidas pela CM incluindo prisões femininas e masculinas. Este estudo desenvolve-se numa prisão feminina no contexto do protocolo entre a CM e o CIPEM (Polo do INET-MD no IPP). Partindo de um quadro teórico que releva da psicologia da música e da investigação em educação, utiliza-se uma metodologia qualitativa que se situa num paradigma feminista. A recolha de dados envolve a observação participante, entrevistas individuais e de grupo, histórias de vida e notas de campo. Procura questionar até que ponto os conceitos de resiliência e resistência à adversidade podem ser compreendidos tendo em conta os objetivos principais do programa da CM: inclusão social, sentido comunitário e promoção da autoestima. Até ao momento a investigação abordou os workshops que tiveram lugar em Abril/Maio de 2011 durante um período de três semanas e que culminaram numa apresentação para as famílias das reclusas participantes, e entre Janeiro e Maio de 2013, com a apresentação na CM de um concerto comemorativo dos 100 anos da obra de Stravinsky Sagração da Primavera. Nesta investigação as questões éticas têm um papel particularmente crucial. Tomando como objetivo central fazer ouvir a voz das participantes, a abordagem reconhece a singularidade e fragilidade das suas vidas e está consciente dos possíveis resultados negativos que uma exposição pública pode ter. O respeito pelo tempo, privacidade e segurança das pessoas envolvidas são preocupações éticas fundamentais que informam as relações de investigação.
 
Equipa de Investigação
Graça Mota, Graça Boal Palheiros (co-investigadoras)
 
Financiamento
CIPEM/Casa da Música
 
Período
2011-2015
 
Palavras-Chave
música e inclusão social, música e emoção, improvisação, resiliência, prisão feminina