• Dança 3
Menu
 
 
SEMINÁRIO PERMANENTE EM CRIAÇÃO, PERFORMANCE E INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA 
 
O Seminário Permanente do grupo de investigação Criação, Performance e Investigação Artística do INET-md é um fórum onde todos os seus membros (integrados e colaboradores), bem como outros investigadores e investigadoras do meio académico, cultural e artístico, possam apresentar o seu trabalho mais atual e investigações em curso.
 
 
19.04.2024 | 10h00-13h00 | Estúdio CIME |  Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro
 
Inscrições para: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
 
Workshop- IRIN
 
 
Carlos Caires | Professor na Escola Superior de Musica de Lisboa e autor da ferramenta de composição IRIN
 
 
O IRIN é uma ferramenta de composição implementada enquanto standalone em Max/MSP, concebida para melhorar várias operações de composição incluídas no paradigma da micromontagem. A ferramenta utiliza uma interface de utilizador abrangente, contendo várias janelas de edição, que permitem ao compositor montar, visualizar, reproduzir e modificar vários tipos de objectos sonoros.
 
No âmbito do SEMPER, Seminário Permanente do Grupo de Performance e Criação do INET-md, é proposto um workshop vocacionado para a criação e composição sonora através de meios digitaiscom Carlos Caires, autor de IRIN. Esta é uma ferramenta de composição implementada enquanto standalone em Max/MSP tendo sido concebida para melhorar várias operações de composição.
 
 
 
lecture-usa.jpeg
 
 
 
Carlos Caires | Diplomado em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa (Composição com Constança Capdeville e Christopher), Carlos Caires obteve posteriormente a Maîtrise (1999), o Diplome d’Études Approfondies (2000) e o Doutoramento (como Bolseiro FCT, 2006), na Universidade de Paris8 Saint Denis-Vincennes, sob orientação de Horacio Vaggione. Professor coordenador na Escola Superior de Musica de Lisboa, local onde começou a lecionar em 1993, Investigador no CITAR-Universidade Católica (Porto), entre 2007 e 2013, e investigador integrado no CESEM-FCSH, desde 2014. É ainda colaborador no CICM-Centre de recherche Informatique et Création Musicale (Universidade de Paris8, Saint-Denis Vincennes). Foi professor no Conservatório Regional de Setúbal e na Escola de Música do Conservatório Nacional (entre 1988 e 1991) passando a lecionar, a partir de 1992, na Escola Superior de Música de Lisboa. Paralelamente ao curso de composição, Carlos Caires frequentou diversos cursos de verão de direção coral e de Orquestra, em Portugal e no estrangeiro. Dirigiu com o maestro Paulo Lourenço o coro da Juventude Musical Portuguesa, fundando posteriormente (também com Paulo Lourenço), o Coro Ricercare, que dirige até 1998, altura em que parte para Paris. A sua música tem sido apresentada em diversos festivais na Europa, na Ásia e nos EUA.
Entre os agrupamentos que interpretaram a sua música, destacam-se a Orquestra Sinfónica Casa da Música, Coro Casa da Música, Remix Ensemble, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica e Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa, Coro de Câmara da Escola Superior de Música de Lisboa,  Orquestra de Sopros da Universidade de Aveiro, OrchestrUtopica, Coro Ricercare, Sinfonietta de Lisboa,   Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Ensemble Ars Ad Hoc, Ensemble Futurs Musiques, Gruppo di Percussione d’ella RAI, Sond'Ar-Te Electric Ensemble e Smith Quartet. Recebeu, em 1995, o Prémio Joly Braga Santos com a obra Al Niente, em 1996, o Prémio Claudio Carneyro com a obra Wordpainting, e em 1998, o Prémio ACARTE com a obra Retábulo-Melodrama. Carlos Caires tem desenvolvido diversas aplicações informáticas nos domínios da música eletroacústica e composição assistida por computador, destacando-se o software de micromontagem sonora IRIN, projeto iniciado durante o seu doutoramento e em atualização até aos dias de hoje. A sua actividade inclui ainda a composição de música e som  para filme, tendo apresentado até ao momento 4 curtas metragens de animação no Festival Monstra com posterior circulação internacional.