• Palco
Menu
Congresso Internacional
 
 
 
XXIII ESEM - European Seminar in Ethnomusicology
 
 
De 11 a 13 de Outubro de 2007 | Reitoria da Universidade Nova de Lisboa
 
 
 
O INET-MD organizou a XXIII conferência do European Seminar in Ethnomusicology (ESEM) que decorreu na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, de 11 a 13 de Outubro. Fundado por John Blacking em 1981, o ESEM é a mais importante associação europeia de Etnomusicologia, reunindo etnomusicólogos da maioria dos países da Europa e do mundo. 
A maior reunião científica internacional no domínio da Etnomusicologia que teve lugar em Portugal, contou com 130 inscritos e 50 comunicações em torno dos seguintes temas:  

Música e Dança nas Comunidades Diaspóricas na Europa

A Europa abriga toda uma miríade de comunidades em diáspora, tanto no âmbito das diásporas históricas como das que são resultantes de processos migratórios mais actuais. Desde a segunda metade do século XX, a dissolução da hegemonia imperial europeia, o desmembrar da União Soviética, e o estabelecimento da Comunidade Europeia, estimularam o movimento transnacional de capital, trabalho e cultura. Da África, da Ásia, das Américas, ou de países europeus, migrantes têm formado comunidades diásporicas que contribuem para a reconfiguração de sons e de espaços urbanos. A compreensão desta nova realidade europeia coloca um desafio à praxis da Etnomusicologia. De que modo é que a música, a dança e o ritual contribuem para a formação de comunidades em diáspora; para a interacção entre elas; para a sua integração nas sociedades de acolhimento; e para a manutenção de laços com as comunidades de origem? De que modo é que as performações de música e de dança denotam, negoceiam ou contestam identidades no âmbito destas questões de base? Qual é o papel das indústrias culturais globais na produção e disseminação de música nas e das comunidades em diáspora.   


Arquivos Audiovisuais no século XXI 

Os arquivos de som desempenharam um papel fundamental no estabelecimento da Etnomusicologia como uma disciplina académica. Desde a fundação dos primeiros arquivos de som em Viena e em Berlim há mais de 100 anos, vários arquivos têm sido formados em diversas zonas do mundo. Porém, muito falta ainda fazer para salvaguardar a herança audiovisual do planeta e para colocar os conteúdos dos arquivos à disposição dos interessados um pouco por todo o mundo. O arquivo audiovisual no século XXI enfrenta vários desafios. É necessária a contribuição de discussões construtivas que incidam em soluções potenciais e estratégias a desenvolver nesta área. Será ainda necessário ponderar tanto nos aspectos positivos como negativos do impacte que as novas tecnologias possam ter em domínios como a preservação, a disseminação, a estrutura organizacional, sustentabilidade, questões éticas, o copyright e o desenvolvimentos de redes. 


Música e Dança em Espanha e Portugal pós-colonial

Portugal e Espanha inauguraram o movimento de globalização dos séculos XV e XVI através do comércio marítimo e da expansão territorial. O impacte do legado colonial dos países ibéricos tem sido ignorado nas teorias pós-coloniais baseadas no modelo britânico. A aplicação de perspectivas teóricas pós-coloniais nas pesquisas etnomusicológicas em Portugal e em Espanha (tanto enquanto ex-nações imperialistas como enquanto destinos de acolhimento de comunidades em diáspora) poderá contribuir para o desenvolvimento de novas perspectivas sobre práticas musicais e coreográficas nestes territórios e aprofundar a análise de assuntos chave como as políticas da identidade, hibridismo e mimetismo. 


Philip Bohlman, catedrático da Universidade de Chicago, apresentou a “keynote speech” subordinada ao seguinte tema: “Herder’s Cid and the Epic of Modern Europe”.
 
A Comissão Científica da Conferência foi presidida por Salwa El-Shawan Castelo-Branco, tendo integrado Susana Sardo, Daniel Tércio, António Tilly, Martin Clayton e Franck Kouvenhoven. A Comissão organizadora foi formada por Salwa El-Shawan Castelo-Branco, Ana Filipa Carvalho e Gonçalo Antunes de Oliveira. Pedro Russo Moreira elaborou e administrou o sítio de internet da Conferência e participou na organização do evento assim como Hugo Silva, Leonor Losa, Susana Moreno Fernández, Pedro Nunes, Carla Minelli, Rosa Clara Neves e Isa Peixinho. 

Vários investigadores do INET-md organizaram e presidiram painéis, e apresentaram comunicações, a saber: Ana Filipa de Carvalho, Ana Paula Batalha, Bárbara Alge, Daniel Tércio, João Soeiro de Carvalho, Jorge Castro Ribeiro, Luísa Roubaud, Maria de São José Côrte-Real, Margarida Moura, Pedro Félix, Rui Cidra, Salwa El-Shawan Castelo-Branco, Susana Moreno Fernández, Susana Sardo.

A conferência contou com o apoio das seguintes entidades e empresas: Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Museu do Fado, EGEAC, Carris, Cafés Delta, El Corte Inglês, e Frota Azul.