• Guitarra
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Universidade Nova de Lisboa INET-MD - Instituto de Etnomusicologia Ave. de Berna 26 C
Lisboa
1069-061
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Nota Biográfica

Mestre em Etnomusicologia pela Universidade Nova de Lisboa, Carlos Cavallini realizou um estudo de caso que envolve a abordagem do jornal Se7e sobre a Música Popular Brasileira (MPB) e as relações da imprensa com a indústria discográfica e de espectáculos. Licenciado em Jornalismo pela Faculdade de Educação e Comunicação Social (FAESA), em Vitória, Brasil. Em 2005 pesquisou a música regional do Espírito Santo na imprensa escrita local. Continua seus estudos em Etnomusicologia como doutorando do Inet-MD na Universidade Nova de Lisboa, alargando assim a pesquisa sobre a MPB em Portugal. Em 2014 publicou o artigo "Jornalismo sobre música e gatekeeping: o caso da MPB no semanário Se7e"juntamente com o Prof. Pedro Nunes.

(ver CV)

 

Título da tese de doutoramento

Nova MPB no Brasil, música alternativa em Portugal. As mudanças do significado da sigla MPB no século XXI.

Resumo

Esta tese centra-se na análise de discurso dos profissionais da indústria discográfica, espetáculos e dos media sobre a música brasileira em Portugal relacionado àMPB (Música Popular Brasileira). Este termo estáassociado ao trabalho de artistas ligados aos ideais dos partidos de esquerda durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985) batente popular no Brasil e anos mais tarde ficou muito popular em Portugal sendo uma referência no que diz respeito a uma "música brasileira de qualidade". A partir de 2009, há uma tentativa da imprensa brasileira em classificar artistas da nova geração como Nova MPB. Porém, o mesmo não ocorre em Portugal, onde a sigla estámais voltada para um público mais velho e os músicos em questão estão mais próximos do universo da música alternativa.

O trabalho consiste em uma pesquisa de campo em Lisboa, Rio de Janeiro e São Paulo; entrevista com editores discográficos, produtores, promotores de espetáculo, músicos e críticos nos dois países e uma análise de conteúdo das matérias sobre música brasileira em três periódicos portugueses: Público, Time Out e Blitz.