• Palco
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)

Nota Biográfica

Pedro Barreiros nasceu no Porto em 1962, iniciou a sua atividade musical em 1969 no projeto Mini-Pop (1969-79), Jafumega (1979-83), Quarteto de António Pinho Vargas (1983-89), Sexteto de Jazz de Lisboa (1982-90), Trio de Mário Laginha (1985-90), noneto de Paulo Gomes (2001-03), Orquestra de Jazz de Matosinhos (2002-04), Sexteto de Mário Barreiros (2002-08), Sexteto de Miguel Moreira (2008-14). De 2005 a 2012 Leciona na ESMAE a disciplina de contrabaixo Jazz, recebe em 2012 o grau de Mestre em Performance de Contrabaixo de Cordas – variante Jazz pela ESMAE. Atualmente é professor na Escola de Jazz do Porto e frequenta o 3o ano do Doutoramento em Música/ Educação na Universidade de Aveiro.
 
 
 
Projeto de Doutoramento
 
Título
Apresentação de um algoritmo cognitivo para o contrabaixista, apoiado pelas novas tecnologias no desenvolvimento de estratégias de auto-regulação, auto-avaliação e metacognição num contexto coletivo de música improvisada e ritmicamente orientada
 
Resumo
Com o objectivo de aumentar o rigor na composição musical e individual em tempo real - nas componentes melódica, harmónica, rítmica e expressiva - foi desenvolvido um algoritmo rítmico-melódico. Este algoritmo foi concebido de forma a construir uma relação direta entre uma figura rítmica e o intervalo melódico mais pequeno da escala temperada (o meio tom cromático). Para aumentar a diversidade rítmica foram escolhidas as 6 famílias heptatónicas que não contêm 2 intervalos de meio tom cromático consecutivos, como também alguns modos de transposição limitada, tais como as escalas: cromática, tons inteiros, diminuta e aumentada, a uma e a duas oitavas. Apoiada nas novas tecnologias de ensino-aprendizagem, a implementação deste algoritmo foi testada ao longo de 11 meses com 10 alunos de primeiros anos do ensino superior de contrabaixo. O desenho de estudo foi planificado de forma a que todos os alunos pudessem constituir um controlo de si próprios, no entanto sem comprometer o acesso ao algoritmo a todos os participantes. O impacto da sua utilização foi avaliado, comparando os resultados antes, durante e após implementação do algoritmo no que diz respeito: (i) à criação de estratégias de auto- regulação, auto-avaliação e metacognição; e (ii) ao desenvolvimento sensorial e cognitivo dos elementos musicais como a sincronização, afinação, timbre e intensidade, durante uma performance de música improvisada em ensemble dos alunos participantes.