• Dança 5
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro - Campus Universitário de Santiago Aveiro
Aveiro
3810--193
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
CV:

Nota Biográfica

Pianista, compositora e improvisadora, desenvolve o seu trabalho na área da música nova/música contemporânea. Encontra-se actualmente a fazer um doutoramento em música (variante Performance) na Universidade de Aveiro, como bolseira da FCT - Fundação para Ciência e Tecnologia.

Tem-se apresentado em concerto no âmbito de diversos festivais e em importantes programações nacionais e internacionais. O seu primeiro trabalho a solo 'through this looking glass', filmado pelo realizador e director de fotografia Daniel Costa Neves, foi editado em dvd+cd pela alemã 'blinker - Marke für Rezentes' em 2011. ELOGIO DA DESORDEM, o seu mais recente trabalho a solo, teve edição em Outubro de 2013 pela Shhpuma, editora subsidiária da Clean Feed. É membro dos grupos Almost a Song (com Luís José Martins), POWERTRIO (com Eduardo Raon e Luís José Martins) e colabora regularmente com os artistas Rita Sá, Daniel CostaNeves e Pedro Diniz Reis. Fez música para teatro, cinema, performance, destacando-se a música para o filme "Tabú" de Miguel Gomes.

  

Tese de Doutoramento

O indizível – monólogo interior instrumental de uma performer/compositora
Proposta de trabalho de pesquisa no Programa Doutoral em Performance
Autora: Joana Sá
Orientador: Prof. António Chagas Rosa (Universidade de Aveiro)
Co-orientador: Agustí Fernandez (Escola Superior de Música de Catalunya)
Abstract
A proposta de doutoramento "O indizível - monólogo interior instrumental de uma performer/compositora" surge na sequência do meu trabalho como performer/compositora e sob duas essenciais motivações aparentemente contraditórias: a primeira refere-se à necessidade de exercer uma pesquisa e reflexão profunda no meu processo de trabalho – que se tem caracterizado por ter uma grande componente tácita; a segunda refere-se a uma vontade de trazer para a investigação e discussão outras formas de criação na música que são, de forma geral, menos abordadas – neste caso, a criação musical que é feita "menos no papel" e "mais na performance".
Pretendo com este trabalho de investigação:
Definir um novo conceito formal dentro do contexto histórico do teatro instrumental – o monólogo interior instrumental ou Música do pensamento;
Definir uma ideia pessoal de indizível - a partir da pesquisa, reflexão e cruzamento de informação de várias áreas e subjectividades - e aplicá-la ao conceito de monólogo interior instrumental ou Música do pensamento;
Criar um corpo de obras (trilogia) associado a estes conceitos.
A ideia de indizível surge a partir destas duas questões principais: a grande dimensão tácita e não escrita do meu processo de trabalho e a minha ideia de monólogo interior instrumental/ Música do pensamento na qual a representação do discurso interior é feita maioritariamente sem o uso da palavra. Música do pensamento é um termo usado por Steiner no seu livro "Poesia do Pensamento - do Helenismo a Celan" (2012) e adoptado por mim como uma melhor designação para a minha formulação de "monólogo interior instrumental".